Sob o domínio do medo

Alerta Rocinha 24hs, grupo de WhatsApp reúne cerca de 130 moradores de uma das maiores favelas do Brasil | Julianne Gouveia/Agência Pública

Em 14 meses de operações comandadas por militares, moradores da Rocinha sofrem com tiroteios e choram mortes de parentes e vizinhos; sintomas de doenças mentais decorrentes da violência cotidiana são cada vez mais frequentes

De junho de 2017 a setembro de 2018, foram 257 tiroteios contabilizados

Para especialista, sofrimento é mais grave do que o de soldados no front

Serviços de atendimento à saúde mental também foram afetados

Leia a reportagem completa no site da Pública

Visualizar matéria

versao para impressão

Mais Participações