Tiroteio interrompe distribuição de cestas básicas na Providência; jovem de 19 anos morre na ação

Voluntários do pré-vestibular Machado de Assis entregavam 50 cestas às famílias de alunos de um colégio estadual quando o confronto começou. Polícia afirma que jovem morto era suspeito.

Assista à reportagem do Bom dia Rio:

Jovem é morto em ação da PM durante distribuição de cestas básicas, na Providência

Mais uma ação de distribuição de cestas básicas foi interrompida por tiroteios em favelas do Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira (21), o caso aconteceu durante uma operação da Unidade de Polícia Pacificadora da Providência, no Centro do Rio, onde um jovem de 19 anos foi morto por conta dos disparos.

Segundo voluntários do pré-vestibular Machado de Assis, da Providência, o tiroteio começou quando o grupo entregava 50 cestas básicas às famílias de estudantes do Colégio Estadual Reverendo Hugh Clarence Tucker, também na região central do Rio.

“Ao subir a ladeira, vi viaturas da polícia subindo. Eles pararam e saíram policiais com toucas ninja. A gente ouve um disparo, tinha cerca de 80 pessoas na ladeira da escola”, conta um dos professores voluntários no projeto.

Houve tumulto quando os moradores perceberam que alguém havia sido baleado. Eles filmaram a saída dos policiais da comunidade levando o ferido, Rodrigo Cerqueira, de 19 anos. Os moradores chegaram a se manifestar contra os agentes, mas foram interrompidos por spray jogado pelos militares.

Rodrigo foi levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, na mesma região, mas de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, ele chegou morto à unidade.

Segundo a Polícia Militar, os agentes da UPP realizavam um patrulhamento na Rua Rivadávia Corrêa, no Santo Cristo, quando foram atacados a tiros e revidaram. A corporação diz que Rodrigo era suspeito e, com ele, foram apreendidos uma pistola, munição e drogas.

Parentes e amigos, no entanto, afirmam que o jovem era inocente, que estudava e trabalhava como ambulante na região.

“Rodrigo era um garoto muito legal, muito calmo. Era um garoto que sentava sempre na primeira fila, que participava de todas as atividades. Nós não sabemos como era a vida do Rodrigo fora da escola, mas nós, professores todos, podemos falar que o Rodrigo era um menino maravilhoso dentro da escola”, conta um professor do estudante morto.
A Polícia Civil informou que Rodrigo Cerqueira não tinha passagem criminal e que um inquérito foi instaurado para apurar a morte do jovem.

A presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputada Renata Souza, do Psol, se manifestou nas redes sociais após o caso: “Mais uma família pobre, negra e favelada que perde um ente querido nessa sanha sangrenta da insegurança pública. Até quando?”.

Um levantamento da plataforma de dados Fogo Cruzado informou que o episódio ocorrido na Providência foi a quinta vez, desde o início da quarentena no Rio, que tiroteios impediram a distribuição de cestas básicas no Grande Rio. De acordo com a plataforma, em todas as situações, havia a presença de agentes de segurança do estado.

Na quarta-feira (20), voluntários do Movimento Frente Cidade de Deus, na Zona Oeste, também precisaram interromper a distribuição de cestas de alimento para os moradores da comunidade por conta de tiroteio na região. Na ação, um jovem de 20 anos morreu. A PM diz que ele era investigado por tentativa de homicídio e roubo de veículo.
 

Visualizar matéria

versao para impressão

Mais Participações