Drogas: guerra, descriminalização e regulação

Objetivo

A partir da pesquisa “Atitudes relativas à descriminalização e regulação das drogas“, concluída em 2013, o projeto dedica-se a fomentar o debate público no Rio de Janeiro e no Brasil, desafiando dogmas e paradigmas do proibicionismo por meio da produção de novos dados quantitativos e qualitativos, e de estratégias criativas de comunicação e sensibilização.

Atividades

Primeira premiação jornalística sobre drogas no Brasil, instituída em 2014, para reconhecer matérias da mídia impressa e da internet que demonstrem apuro, abrangência, capacidade investigativa e originalidade na abordagem de temas relativos a políticas e legislação sobre drogas, e aos seus impactos na sociedade brasileira. Saiba mais no site do prêmio

De 06/05/2014 a 18/05/2014, a convite do CESeC e com apoio da OSF, o neurocientista da Universidade de Columbia, autor de diversas pesquisas sobre drogas, realizou palestras no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Brasília, e dialogou com estudiosos e ativistas de várias instituições. Houve também o lançamento da edição brasileira do livro de Carl Hart, Um preço muito alto, traduzido pela editora Zahar. Saiba mais na página do evento

Voltada a provocar debate sobre os danos que a proibição de determinadas drogas causa à sociedade, a campanha utiliza essencialmente videos e cartuns, difundidos por mídias diversas (redes sociais, busdoors, cartazes, folhetos etc.), e conta com parceiros engajados no tema para demonstrar como o modelo de “guerra às drogas” falha em seu principal objetivo: diminuir o consumo de psicotrópicos e garantir segurança e bem-estar à população. Saiba mais no site da campanha

Iniciativa da campanha Da proibição nasce o tráfico para incentivar a produção de cartuns e a utilização do humor como ferramenta de abordagem dos problemas gerados pela chamada guerra às drogas. O concurso, realizado em 2015, premiou cinco cartuns, de 45 inscritos. Saiba mais na página do evento

Worshop realizado em 9 e 10 de novembro de 2015 com o objetivo de incentivar a cobertura jornalística contextualizada e inovadora sobre a questão das drogas. O encontro reuniu especialistas, jornalistas e estudantes de jornalismo para debater temas relacionados às drogas. Saiba mais na página do evento

Desde outubro de 2015, a campanha Da proibição nasce o tráfico organiza debates em favelas do Rio de Janeiro, em que especialistas de diversas áreas discutem com moradores, estudantes e lideranças locais vários aspectos relacionados à questão das drogas. Saiba mais na página do evento

Série de encontros de pesquisadores do CESeC, especialistas da área de drogas e  jovens de diferentes favelas para debater e criar um Guia sobre política de drogas destinado a ativistas, militantes e lideranças de favelas, com informações, dados e argumentos sobre os impactos negativos da “guerra às drogas” no cotidiano dos moradores de periferias do país. A equipe também produziu vídeos sobre o tema para ampliar a discussão dentro e fora dessas localidades. O lançamento do #Movimentos, da cartilha e do site, no Rio e em São Paulo ocorreu em setembro de 2017. Saiba mais na página do projeto

  • Visita da ativista Deborah Small ao Brasil

Série de encontros e palestras sobre política de drogas e racismo (julho de 2016). Saiba mais sobre a palestra na Emerj

Artistas, jornalistas, cientistas sociais, policiais militares e ativistas denunciam os danos causados pela guerra às drogas. Assista ao vídeo

Uma parceria com a Agência Pública, o concurso foi lançado em março de 2017, com o objetivo de estimular a produção e a disseminação de reportagens capazes de ampliar o conhecimento sobre os mecanismos de consumo, uso e repressão da maconha. Foram recebidas 197 pautas, vindas de 44 cidades de 15 estados brasileiros e 12 de fora do Brasil. Quatro repórteres venceram o concurso e receberam 7 mil reais cada um para produzir matérias inéditas e inovadoras sobre o tema da maconha, três das quais foram publicadas em agosto e setembro de 2017.  Saiba mais no site da Pública

  • Estruturação do projeto “Os custos da proibição”

Contatos, realizados por Julita Lemgruber de 15 de maio a 15 de julho, para estruturar o futuro projeto “Os Custos da Proibição”, que pretende reunir especialistas do Brasil e dos Estados Unidos no esforço de estimar os diversos custos acarretados pela proibição das drogas atualmente ilícitas.

Mais Projetos